Techonlogy

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

A Vida Eterna Começa Aqui parte 1 - Izlan de Souza (Estudo)

A Vida Eterna Começa Aqui

Introdução

              
  Talvez uma das maiores dificuldades dos cristãos é com a escatologia, o fim dos tempos. Compreender que a vida eterna não é algo que se inicia no pós-morte é muito difícil para pessoas que vivem num mundo rodeado de problemas e sofrimentos, porque todos acreditamos que a vida eterna é a perfeição de vida sem nenhuma intempérie, angústia, dor ou perdas. O que realmente acontecerá, mas na eternidade, não enquanto estivermos neste planeta, isso sim virá depois da morte, o último inimigo a ser vencido.
                O que é a vida eterna? Vida é o dom de Deus a cada um de nós. Eterna é a compreensão daquilo que não tem começo nem fim. O eterno é aquilo que não se submete ao tempo. Então, vida eterna é um presente de Deus que nos dá para vivermos junto com ele para sempre. Nós estávamos mortos em nossas ofensas e pecados (Ef 2.1), e nesse ambiente ele nos deu a vida eterna. Vida eterna é uma qualidade de vida superior que vai além daquilo que conseguimos compreender. (Ef 3.19)
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. João 17:3
                A vida eterna não é um período que se inicia depois do fim do nosso tempo aqui na terra (Jo 6.47). A vida eterna é um tipo de qualidade de vida, é compreender e viver o transcendente, o sobrenatural, é alcançar níveis mais profundos na espiritualidade e no dia-a-dia de cada cristão. É uma vida viva, não mera existência na expectativa de intervenções divinas enquanto esperamos debilmente o “haja de Deus” sentados no sofá. É uma compreensão de que Deus em sua palavra já nos deu o direcionamento, basicamente, de tudo o que havemos de fazer ou não fazer, enquanto no cotidiano precisamos estar atentos ao belo e ao necessitado. A oração é a arma mais poderosa para alcançarmos essa sabedoria, precisamos nos achegar ao coração do Pai e entender qual é a sua vontade através do seu livro sagrado.
E disse-lhes: "Foi isso que eu lhes falei enquanto ainda estava com vocês: Era necessário que se cumprisse tudo o que a meu respeito estava escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos".
Então lhes abriu o entendimento, para que pudessem compreender as Escrituras. E lhes disse: "Está escrito que o Cristo haveria de sofrer ressuscitar dos mortos no terceiro dia, e que em seu nome seria regado o arrependimento para perdão de pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vocês são testemunhas destas coisas. Eu lhes envio a promessa de meu Pai; mas fiquem na cidade até serem revestidos do poder do alto". Lucas 24:44-48

Portanto, se a vida eterna é conhecer a Deus e a Jesus Cristo como o faremos? Jesus após a sua ressurreição nos fala o que devemos conhecer. Então através do texto de Lucas 24:44-48 podemos ver quatro pontos importantes a serem abordados aqui:  Jesus cumpre um roteiro perfeito, morreu e ressuscitou; pediu que em seu nome pregasse o arrependimento e a remissão de pecados; que fossemos testemunhas destas coisas; e seremos revestidos de poder do alto. Neste pequeno trecho o Senhor Jesus traz um padrão da mensagem do evangelho a ser pregada ao mundo inteiro.

Um roteiro perfeito

E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos.

Lucas 24:44

            Jesus em cada passo de sua vida ele cumpre um roteiro perfeito, desde antes de seu nascimento. Ele explica isso aos seus discípulos e eles só compreendem quem Jesus era nesse ponto.
1-    Uma virgem ficará grávida. Isaías 7:14
2-    Jesus nasceria em Belém. Miqueias 5:2
3-    Sua família fugiria para o Egito. Oseias 11.1
4-    Sua entrada triunfal em Jerusalém. Zacarias 9:9
5-    Seria traído por um amigo. Salmos 41:9
6-    Permaneceria em silêncio quando acusado. Isaías 53:7
7-    Sofreria em substituição a nós. Isaías 53:4-5
8-    Seu lado seria transpassado. Zacarias 12:10
9-    Seria sepultado com os ricos. Isaías 53:9
10- Ressuscitaria. Salmos 16:10
Estes são alguns exemplos de todas as profecias que foram cumpridas na vida de Jesus.
            É de grande importância compreender de que tudo que estava escrito em toda a escritura. Ou seja, tudo que Jesus viveu e falou era verdade, mas mesmo assim os seus circunstantes não creram nele. (João 12:37).
            Conhecer e reconhecer que Jesus é o Cristo, o Messias, o nosso Deus é o que faz toda a diferença da nossa fé.
Jesus filho de Adão
                Isso parece algo um tanto estúpido dizer que Jesus era homem. Mas para nós hoje no século 21 isso é muito importante de ser dito. Jesus é filho de Adão, isso significa a sua humanidade, sua origem como identificado com o pó da terra (Fp 2:6,7), tomando a forma de servo.
Jesus filho de Abraão
                Aqui nós vemos a origem de sua etnia, de qual povo ele seria, Jesus foi Judeu da tribo de Judá, descendente da promessa feita a Abrão, antes mesmo de Deus ter mudado seu nome.
Jesus filho de Davi
                É um dos fatores mais importantes na vida de Jesus e o que torna o entendimento dos que estão ao seu redor algo um pouco controverso. Porque Jesus descende de um Rei, da linhagem de Davi, mas não tinha a aparência de rei, não tinha o trono, o poder que os da sua época esperavam de um rei que viria para libertar o seu povo da opressão.

Morreu e Ressuscitou

                E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz! Filipenses 2:8
Ele foi entregue à morte por nossos pecados e ressuscitado para nossa justificação. Romanos 4:25
            Todas as vezes que ouvir o evangelho deve vir uma certeza muito forte ao seu coração a de Jesus tinha que morrer e ressuscitar. É algo muito profundo, mas é o que fundamenta a fé cristã.
De fato, segundo a Lei, quase todas as coisas são purificadas com sangue, e sem derramamento de sangue não há perdão. Hebreus 9:22
                Você sabe por que Jesus havia de morrer? “Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram. ” Rm 5:12. Era necessário o derramamento de sangue para perdão de pecados, mas o sangue de animais era falho e tinha data de validade, eles serviam apenas para dar tempo ao homem e lhe apontar para um sacrifício superior. Os sacrifícios dos animais não tiravam o pecado do homem, o sacerdote entrava no santuário com sangue de animais para que Deus os perdoassem.
Entretanto, eram necessários sacrifícios constantes. E já o coração endurecido de muitos fazia com que honrassem mais os rituais do que ao Deus que receberia, ou seja, estavam mais preocupados com os holocaustos e com as ofertas do que em evitar que isso fosse feito. Pecavam conscientes de que haveria um perdão, transgrediam a lei ao invés de obedecê-la.
Jesus morreu. Mas a morte não o matou, ele se entregou a ela, porque a morte não tinha poder sobre ele, pois nele não havia pecado. É preciso entender que a morte é a consequência de quem peca. Jesus não pecou, logo não haveria de morrer, mas ele se fez pecado (2 Co 5:21), para que nele fôssemos feitos justiça de Deus. Ele morreu em nosso lugar (Is 53:5-6). É muito importante salientar também que quando Jesus na cruz diz “Deus meu, por que me abandonaste? ” Isso é verdade, neste momento Jesus é feito pecado em nosso lugar e o Pai não poderia ter parte com o pecador, e então ele sofre o maior dos castigos, a ausência do Pai, como se o Pai virasse as costas, representando a separação total do Pai que é santíssimo. E aqui um outro ponto a ser ressaltado, um homem só conseguiria pagar o pecado de um homem, mas como Jesus suportaria o peso do pecado de todos os homens? Somente se ele fosse Deus. Aqui está um ponto impressionante, ele era homem porque um homem tinha que morrer para satisfazer a justiça, mas somente Deus poderia suportar sobre si todo o peso da sua própria ira.
Jesus ressuscitou. A morte não poderia contê-lo, pois ele satisfez a justiça de Deus (Rm 3:25). E o apóstolo Paulo acerca destas coisas escreve: "Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu aguilhão? "O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.

Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo”. 1 Coríntios 15:55-57.

Crer que Jesus morreu e ressuscitou é a base da nossa fé. Só o cristianismo acredita na ressurreição. A ressurreição é um tabu para maioria das religiões, mas nós somos os únicos que temos uma vitória sobre a morte, todas as outras confissões de fé trazem uma forma de tentar burlar a morte, fugir dela, e ela para nós é o último inimigo a ser vencido.

Por Izlan de Souza

Seminário Vivendo Com Deus (35 98884-3290)

Nenhum comentário:

Postar um comentário