Techonlogy

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

A Vida Eterna Começa Aqui parte 2 - Izlan de Souza (Estudo)

(Continuação do estudo - Leia a parte 1 CLIQUE)

Pregasse o Arrependimento Para Perdão de Pecados

Daí em diante Jesus começou a pregar: "Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo". Mateus 4:17
                Com essa frase o nosso mestre dá início ao seu ministério: “arrependam-se”. O primeiro aspecto que é necessário enfatizar é que arrependimento não é remorso, não é uma tristeza causada por algo cometido, não é aquele pensamento de coisas que gostaríamos de feito diferente no passado.
Muitos conhecem esta palavra no grego que é a junção de duas palavras meta ‘além’ e nous mente, transliterado é metanoia que significa expansão de consciência, ter a mente expandida, é pensar diferente, é adquirir uma nova compreensão da realidade, da vida para viver o reino aqui. Para vivermos a nova realidade do reino de Deus precisamos mudar nossa forma de pensar, precisamos pensar em outras categorias, precisamos pensar nas categorias do Reino de Deus.
E por que é tão importante entendermos o que significa o arrependimento? Porque pregar o arrependimento é anunciar uma nova realidade de vida, uma nova possibilidade ofertada por Deus a nós, nossa mensagem precisa sempre desafiar o pecador ao arrependimento e que sem isso ele não vai conseguir perceber o reino.
Pedro respondeu: "Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo. Atos 2:38
                Somente após o arrependimento temos acesso ao perdão de nossos pecados. E todo aquele que realmente se arrependeu deseja se batizar para que seja publicamente reconhecido a identificação na morte e ressurreição de Jesus (Rm 6:4).
                O significado da palavra pecado ficou gravado pela maioria dos cristãos como “errar o alvo”, mas o que chama a atenção é para errar o alvo é preciso querer e estar buscando acertar o alvo, seria um tropeço, um acidente. Segundo significado é transgressão da Lei, quem transgride é culpado, e assim comete pecado contra o autor da Lei. Aqui há um conflito de significados, visto que, em Jesus a Lei deixa de ser aquela escrita na pedra e passa ser escrita no coração, por outro lado como se erraria o alvo tentando acertar a lei? Isso faria com que os fariseus, saduceus, zelotes e todos os outros grupos políticos na época de Jesus estivesse certos, pois estavam tentando acertar o alvo.
                Agostinho nos dá uma interpretação para o pecado que nos permite fazer sentido com o significado de arrependimento. O teólogo do quarto século coloca a rebelião como pecado original, antes de cometermos qualquer outro tipo de pecado. É a posição de Adão quando decide desobedecer a Deus e viver segundo as suas próprias regras, ser o senhor de si mesmo, o deus de si mesmo. Por isso precisamos nos arrepender, necessitamos perceber que o nosso jeito não funciona, que Deus é o autor da vida, então ele é quem diz como se vive e não nós.
                E o que é perdão? Perdão é a solução de Deus para pagar dívidas impagáveis. A dívida que temos contra Deus é impagável, então, Ele sofre o dano e nos diz que não precisamos pagar nada a ele, porque Ele prefere sofrer este dano a nos perder.
“Perdão e Desculpa são duas palavras tão banais no uso, que nem desconfiamos da diferença entre elas. Em um certo sentido, Perdão e Desculpa são palavras quase opostas. O Perdão nos diz "ok, você fez isso, mas eu aceito seu pedido de perdão; não jogarei isso na sua cara e seremos do mesmo jeito que éramos antes". Já a Desculpa, fala "eu percebo que você não podia evitar, sei que realmente você não queria fazer isso; você não é culpado". Assim, um ato falho sem culpa precisa de desculpa, e não de perdão. Da mesma forma, boas desculpas não precisam de perdão - já que o perdão exige culpa - e se você quer ser perdoado, não há desculpas para o que fez - pois pedir perdão é assumir a culpa.

Porém, isso não invalida a possibilidade de haver os dois ao mesmo tempo. O problema está em pedirmos desculpas para aquilo que exige perdão. ” C.S. Lewis
                Nós sempre teremos duas alternativas nos afundar e sermos destruídos pela culpa e pelo ódio ou passarmos pela experiência do perdão. Você já perdoou hoje? Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou. Colossenses 3:13, este é o chamado para vivermos todos os dias, perdoar e viver o perdão.

Testemunha Destas Coisas

Pois não podemos deixar de falar do que vimos e ouvimos
Atos 4:20

                João e Pedro estavam sendo coagidos depois de haverem curado um paralítico e anunciar o arrependimento das velhas obras, o batismo, e o perdão de pecados em nome de Jesus, o conselho com o sumo sacerdote, anciãos, escribas, os principais da época. Todos estes estavam ali para frear as manifestações de poder dos discípulos de Jesus. Todavia, Pedro lhes dá uma resposta que é o ponto principal e que nos confronta sobre a manifestação da nossa fé, ele diz que não poderia deixar de falar do que eles têm visto e ouvido, um questionamento que precisa ser feito é estamos calados porque não vemos e nem ouvimos nada ou o que temos visto e ouvido não nos fazem repetir e manifestar o que em atos acontecia?
                O significado da palavra testemunha é pessoa que presenciou ou ouviu algum fato ou dito e que dele pode dar pormenores, mas o que chama a atenção é a palavra original para testemunha que é mártir, e mártir significa pessoa que sofre tormentos ou a morte por uma crença, uma ideia ou uma causa. E isso é algo muito interessante pois em filmes da máfia, se havia as testemunhas contra os criminosos eles “sofriam acidentes” e morriam para não poderem testemunhar contra eles. Ou seja, testemunhar a verdade é correr o sério risco de morte ou de ser classificado como louco por acreditar ver e ouvir coisas que para quem não viu ou ouviu é fora do normal.
                Ser testemunha de Jesus significa ver, ouvir, presenciar, vivenciar na própria pele que já vimos neste estudo. Acreditar na bíblia por inteiro e que Jesus é o Cristo filho do Deus vivo e que ele viveu e cumpriu tudo que estava escrito, morreu e ressuscitou ao terceiro dia e em seu nome pregamos o arrependimento e a remissão de pecados, destas coisas somos testemunhas, estas coisas nós vemos e ouvimos. Você crê realmente que Jesus é Deus? Você acredita que ele morreu e ressuscitou? Você percebeu se você se arrependeu e se sente perdoado? Se sua resposta é positiva para estas perguntas, você tem uma responsabilidade, a de ser mártir destas coisas.

Poder do Alto

 Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Romanos 1:16
                O que significa poder? Nosso idioma de origem latina nos dá o sentido de ser capaz de, mas esse poder aqui vem do grego e o significado é um pouco diferente, por isso nos confunde ao ler estes textos. Em grego poder é a palavra dunamis que dá origem as palavras dinâmica, dínamo e dinamite. O que traz o sentido de força, energia constante para realizar determinado trabalho.
                Mas pelo visto não existe só um tipo de poder, visto que, Jesus diz poder do alto. Então pode existir poder de outros lugares. Vale lembrar a frase de Lutero:  "Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias”. Manifestação do poder de Deus é para salvação de todo aquele que crê.
                Todos pensamos que se Deus fizer um grande milagre diante de nós, nossa perspectiva com relação a fé mudaria, seríamos mais fortes e oraríamos com mais coragem. Porém, isso é um engano. Vemos isso na vida de Jesus quando os fariseus e os escribas pediram a ele um milagre, e então o mestre responde que não haveria nenhum sinal se não o de Jonas, ou seja, o arrependimento para perdão de pecados. E assim foi a última tentação na vida do nosso Senhor, ele já pendurado no madeiro teve de ouvir “se você descer da cruz, nós creremos em você”, é aqui que eles mesmos se enganavam.
Mesmo que Jesus descesse eles não creriam, entretanto, o bom mestre tinha em mente um objetivo maior, muito maior, somente pelo seu sangue derramando naquele dia este e todos os outros pecados poderiam ser pagos. Nós estamos alicerçados no poder da ressurreição, pois o mesmo Deus que ressuscitou a Jesus nos ressuscitará naquele grande dia, isso é poder.
Outro exemplo de crença no poder de Deus é Abraão e Isaac no Monte Moriá. O Eterno pede o bem mais precioso do pai de muitas nações, seu único filho. Este homem não teme, mas crê de algum modo na ressurreição. Mesmo na sua época, e até mesmo entre os judeus até a época de Jesus, não criam na ressurreição, este homem cria que Deus traria seu filho de volta a vida (Hb 11:18)
Portanto, o poder do alto é essa força do Espírito Santo de dentro de nós para fora de nós que transforma tudo ao nosso redor através de atitudes e manifestações da glória de Deus e em testemunho de tudo o que ele tem feito em nós e em nosso meio.

conclusão

                Temos aqui neste pequeno trecho da sagrada escritura um rico e vasto manual de como anunciar o evangelho, contudo, só conseguiremos fazê-lo, se, primeiro vivermos tudo isto. Somente se crermos na vida de Jesus e em tudo que ele falou e viveu, que ele morreu e ressuscitou, anunciar o arrependimento para remissão de pecados e sermos testemunhas do nos aconteceu e acontece ao nosso redor, através do poder que vem do alto.
                Há uma ilustração feita por CS Lewis:
“Tento aqui impedir que alguém diga a grande tolice que sempre dizem sobre Jesus Cristo: ‘Estou pronto a aceitar Jesus como um grande mestre em moral, mas não aceito sua afirmação em ser Deus. ’ Isto é exatamente a única coisa que não devemos dizer. Um homem que foi simplesmente homem, dizendo o tipo de coisa que Jesus disse, não seria um grande mestre em moral. Poderia ser um lunático, no mesmo nível de um que afirma ser um ovo pochê, ou mais, poderia ser o próprio Demônio dos Infernos. Você decide. Ou este homem foi, e é, o Filho de Deus, ou é então um louco, ou coisa pior… Você pode achar que ele é tolo, pode cuspir nele ou matá-lo como um demônio; ou você pode cair a seus pés e chamá-lo Senhor e Deus. Mas não vamos vir com aquela bobagem de que ele foi um grande mestre aqui na terra. Ele não nos deixou esta opção em aberto. Ele não teve esta intenção. ” 
                Se cremos que Jesus existiu só temos essas três opções, ou ele era um mentiroso, um lunático ou Deus. Não há mais opções. Então, se cremos em Jesus como Deus, precisamos urgentemente cair a seus pés e chama-lo Senhor e Deus e obedecê-lo.
                A vida eterna começa aqui e agora e se manifestará por completo ali e além. O reino de Deus é o já e ainda não. E ele já é chegado, mas ainda está consumado. Nós temos dois lados a observar e meditar, o interior o reino e a sua mensagem precisa trazer um resultado no homem interior para que a partir disso estes homens que foram tocados por Deus toquem os outros com o poder deste reino e o manifeste a todos os homens para que creiam.
John Stott sugere que há os ‘otimistas iludidos’, que acreditam que tudo quanto existe no Reino de Deus está disponível hoje, e nesse caso, para aqueles que tiverem fé suficiente haverá pouca diferença entre o céu e a terra.
Do outro lado da calçada estão os ‘pessimistas sombrios’ que acreditam que nada está disponível e vivem angustiados à espera do céu onde, aí sim, tudo será resolvido.
Há também os ‘realistas engajados’, que sabem as limitações das possibilidades do Reino de Deus na história, mas animados pela utopia e esperança do futuro, buscam com todas as forças experimentar e manifestar aqui e agora os ‘primeiros frutos’ desse Reino.
Que grupo você integra?

Por 
Izlan de Souza 



Nenhum comentário:

Postar um comentário